Passo a Passo de um Exportador

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES EM UM PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DE ANIMAIS VIVOS
 
1 - Negociação:
E feito um acordo com o comprador onde o mesmo lhe enviara uma carta proforme. 

2 - Carta de credito:
Se diz respeito ao valor que será pago pelo comprador referente a encomenda do gado. 

3 - Certificado zoosanitario Internacional (CZI): 
Anexo 1: Protocolos
Para consultr no MAPA clique aqui ou deverá entrar no Google Brasil e digitar SISREC MAPA, depois da abertura da página de busca é só clicar no primeiro item da lista de resultados. A consulta é feita de maneira simples com o preenchimento dos campos de informações e depois só clicar em consultar que irá aparecer o resultado. 








Notificar através de e-mail o fiscal agropecuário federal da região que vai ser feito a exportação de bovinos e pedir a liberação para chegada do gado no EPE (estabelecimento de pré-embarque) e encaminhar a ele um plano de confinamento (documento que deve contar o nome da empresa exportadora, nº do EPE, nove do navio, data da abertura da quarentena, quantidade de animais, pais de destino e data provável do embarque).

4 - Vistoria do EPE:
Será feita uma vistoria previa ao EPE pelo fiscal agropecuário federal onde o mesmo avaliara as condições que se encontra o estabelecimento podendo ou não autorizar o processo de exportação.

5 - Compra de insumos:
Compra de medicamentos de acordo com o que é pedido no protocolo do pais importador, se houver algum medicamento a ser usado que não consta no CZI deve-se informar ao fiscal agropecuário federal responsável pela fiscalização da exportação em andamento.
O alimento deve ser balanceado e de boa qualidade podendo ser feito por uma empresa especializada ou pela própria empresa exportadora se caso os animais forem alojados em regime de confinamento.
Se estiverem em regime de pasto o mesmo deve ser de boa qualidade e em quantidade suficiente para se ter uma boa alimentação.

6 - Compra do gado:
Deve antes de tudo saber qual a finalidade do gado que o pais importador permite e qual a qualidade que o comprador quer; fazer o cadastro do produtor que ira fornecer os animais, verificar se nada consta no Ibama, ministério do trabalho e o número do CAR (cadastro ambiental rural) e por ultimo se o produtor estiver em dia avaliar o compromisso de compra e a declaração do produtor se o embarque for no estado de SP.

7 - Procedimentos a serem feitos na hora da seleção do gado:
A pesagem dos animais deve ser feita pela manhã, ao chegar na fazenda o pesador da empresa exportadora devera aferir a balança antes e durante a pesagem; identificação individual e classificação do gado (cruza brasileira, cruzamento industrial e animais com chifre de no máximo 15 cm). Por último deve-se preencher o romaneio de pesagem e envia-lo ao escritório o mais rápido possivel.
Se possível o gado selecionado deve de imediato embarcar em um caminhão com toda a documentação exigida e descarregar os animais no EPE onde será realizado o processo de exportação.

8 - Emissão de nota fiscal e GTA (guia de transporte animal):
A emissão de GTA no estado do PA deve ter a finalidade da exportação e o destino para o EPE.
Deve-se verificar normas nos estados que forem adquiridos os animais.

9 - Chegada do gado no EPE.
- Dependendo do pais importador devesse cumprir uma quarentena determinada no protocolo sanitário (CZI). Para o cumprimento da quarentena o fiscal agropecuário federal deve dar um termo de abertura de quarentena na chegada do ultimo animal e lacrar o EPE.

- Documentos a serem verificados pelo fiscal agropecuário federal na abertura da quarentena: GTA, planilha de controle de entrada do gado, nota fiscal dos medicamentos e sanidade do rebanho.

- Procedimentos a serem feitos na chegada do gado: atualização diária da chegada do gado; descanso de 24 horas, identificação individual de cada animal (cadastro do animal dizendo a origem, nº de GTA e em que piquete foi alojado) e aplicação de medicamentos (vacinas de carbúnculo, respiratório e carrapaticidas).

- Procedimentos do protocolo sanitário: cumprir oque o protocolo sanitário do pais importador pedir.

- Rotinas durante a operação: equipe de ronda (entrar nos piquetes para avaliar a sanidade dos animais e aplicação de medicamentos sob orientação do medico veterinário responsável técnico da empresa exportadora); atualizar o livro de ocorrência (mortes, procedimentos do protocolo, lacre e deslacre do EPE e algo que saia fora da rotina); atualização diária da movimentação do gado; acompanhar e fornecer qualquer documentação exigida pelo fiscal agropecuário no dia de sua visita; fechamento da quarentena e deslacre do EPE (são feitos ao termino dos procedimentos do CZI); animais que depois dos exames serem feitos derem positivos para alguma doença devem ser isolados do restante dos animais e avisado ao fiscal (animais positivos para tuberculose e brucelose devem ser encaminhados para o abate sanitário de um frigorifico com inspeção estadual ou federal).

10 - Saída do gado do EPE
- Encaminhar documentação (atestado sanitário assinado pelo RT da empresa exportadora, etc) ao despachante aduaneiro para o mesmo dar entrada no MAPA pedindo liberação de embarque dos animais a serem exportados; lacrar e fazer o termo de lacre de cada caminhão; emitir o GTA e nota fiscal para o porto (São Sebastião - SP ou Vila do Conde – PA).

11 - Pós embarque:
- Limpeza e desinfecção do curral e dos piquetes; arquivo de todos os documentos inerentes à saída do gado do EPE (GTA, termo de lacre e termo de comboio).

Anexo 1: Protocolos